New Orleans Jazz Fest foi um sucesso, mesmo sem Stones

Por Herbert Lucas / fotos: Edgard Radesca

A cidade berço do jazz, New Orleans, celebrou em 2019 cinquenta anos do maior festival do gênero no mundo. Mas as comemorações quase acabaram eclipsadas devido ao cancelamento da principal atração, os Rolling Stones, que encerrariam o evento em grande estilo – pela primeira vez não haveria shows simultâneos em outros palcos. Um mês antes da apresentação programada o vocalista da banda, Mick Jagger, precisou se submeter a uma cirurgia cardíaca de emergência, causando o adiamento de toda a turnê pelos Estados Unidos e o Canadá, que começaria em 20 de abril.

Mas depois da tempestade veio a bonança. Passada a decepção o New Orleans Jazz & Heritage Festival (ou simplesmente Jazz Fest, como é conhecido na cidade) engoliu a dor e foi um sucesso. A imagem desse drama se reproduziu logo no primeiro dia de shows quando, pela manhã, uma borrasca desceu sobre a cidade e o hipódromo, onde ele se realiza, ficou intransitável por algumas horas; mas… no meio da tarde recebeu um brilhante sol com céu azul, fazendo o público esquecer os maus momentos.

E assim foi o festival, após a catarse: animado, com público de quase meio milhão de pessoas (isso mesmo!) e ótima música, como sempre.

Em comemoração aos cinquenta anos foi acrescido um dia a mais na programação, que passou de sete para oito (de 25 a 28 de abril e de 02 a 05 de maio). Foram mais de quatrocentas atrações em doze palcos com shows simultâneos. E o público foi o maior desde que o furacão Katrina varreu New Orleans em 2005: 475 mil pessoas.

A programação de jazz teve Herbie Hancock, Nicholas Payton, James Carter, Terence Blanchard, Regina Carter e um sensacional “Ellis Marsalis Family Tribute”, reunindo todo o lendário clã Marsalis: os irmãos Wynton, Branford, Delfeayo e Jason, mais o patriarca Ellis.

Entre os artistas de blues passaram no festival Buddy Guy, Robert Cray, John Hammond, Taj Mahal, Bonnie Raitt, Gary Clark Jr., Chris Thomas King, Alvin “Youngblood” Hart e Marcia Ball. A soul music foi representada por grandes nomes como Al Green, Diana Ross, The O’Jays, Mavis Staples, Chaka Khan e Gladys Knight. 

A programação foi também recheada de astros populares, mesmo com a ausência dos Stones. Carlos Santana, Van Morrison, The Doobie Brothers, Earth, Wind & Fire, John Fogerty, Tom Jones, Alanis Morissette, Katy Perry, Dave Matthews, Jerry Lee Lewis, Los Lobos e outros.

Carlos Santana
O romântico Al Green
Robert Cray
O clã Marsalis: Ellis, Branford, Wynton, Delfeayo e Jason