Blues Nacional chega à era do DVD- Big Joe Manfra lança o primeiro título

Por Helton Ribeiro

 

O guitarrista carioca  Big Joe Manfra está lançando o primeiro DVD oficial do blues brasileiro. Com o título de Big Band ao Vivo, ele tem todos os requisitos de uma produção profissional: som 5.1 (o nível mais avançado), show captado por cinco câmeras, um extenso making of e extras como entrevista, galeria de fotos e discografia.

   O DVD comemora os dez anos de carreira do músico, por isso o show foi gravado em Juiz de Fora (MG), cidade onde ele estreou no palco. A platéia tinha mais de mil pessoas, em uma casa noturna adaptada de uma antiga estação de trem.

   Seu quarteto, com Léo Torresini (segunda guitarra), Fábio Mesquita (baixo) e André Carvalho (bateria), foi encorpado por um naipe de metais e participações do gaitista Jefferson Gonçalves, da cantora americana Jamie Wood e seu parceiro Johnny Rover (gaita). No total, são dez músicos no palco.

   O show foi gravado quase na íntegra, com 13 músicas ao longo de 75 minutos (o making of tem mais 18). O repertório inclui composições próprias e muitos clássicos, como I’m ready, I just want to make love to you, T-Bone shuffle, Red house e Pride and joy.

   Leia crítica aqui.

 

Blue Jeans terá Magic Slim no seu DVD

    O grupo paulista Blue Jeans está finalizando seu DVD, gravado em novembro. Em grande estilo, o trio trouxe ao Brasil o guitarrista Magic Slim, para fazer uma participação especial em várias músicas. O DVD foi gravado em estúdio, mas dois shows – um no Teatro do Sesi, em São Paulo, e outro em São José do Rio Preto (SP) – deram uma amostra do que virá.

   Além de Slim, o organista Adriano Grineberg reforçou o trio formado por Júnior Moreno (voz, bateria e gaita), Marcos Ottaviano (guitarra) e Andrei Ivanovic (baixo). Eles fizeram um set sem o convidado, tocando músicas de seus dois CDs, como Got to move e Five long years, mais a inédita Let me be your lover man, na qual Ottaviano empunhou o lap steel. O público vibrou com Cachaceiro, um clássico da banda – e, por sinal, a única música em português que ela mantém no repertório.

   Lá pelo meio do show, entra a figura imponente, a passos lentos e com um de seus inseparáveis chapelões. A presença de Magic Slim fala por si só. Ele ainda é da geração que trocou os campos de algodão pela guitarra. Quando começa a tocar Going to Mississippi, o timbre cortante e o fraseado econômico, cheio de bends, mostram porque ele é considerado o Chicago blues em pessoa.

   Sem estrelismo, Slim deu bastante espaço para Ottaviano e Adriano solarem. Além de composições próprias, tocou clássicos como Mama talk to your daughter e Rock me baby (esta, com direito a solo de gaita de Júnior). E encerrou o show, claro, com seu cartão de visitas, The blues is alright

 

 

Big Joe Manfra - Ao vivo

 

 

 

 

 

 

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz