Resenhas Anteriores:

Gaspo "Harmônica" & Oly Jr. : "Na capa da gaita"

Manifesto Blues: "Bluz'in"

Marcelo Watanable:  "Acoustic & Eletric"

Marcelo Watanable & Rio Preto All Stars: "Black River Blues"

Hubert Sumlin: "I'm the Back door Man"

John Primer: "All right"

Adrian Flores: "Blues from the deep south"

  Wayne Shorter: "Beyond the soud Barrier"

 

 

  Uptown Blues Band - "Do Mississipi ao Capibaribe"

 (independente)

Por Helton RIbeiro

    

 

   

   Essa banda de Recife é uma das mais antigas do Nordeste, e já tocou com Phil Guy, Peter Madcat e todos os maiores nomes do blues nacional. Algo incomum, ela é liderada não por um guitarrista ou gaitista, mas pelo baterista Giovanni Papaléo. O CD também é peculiar: totalmente instrumental, algo raro no Brasil. No entanto, o que poderia dar margem a uma sucessão interminável de solos acaba sendo uma coleção de canções com forte acento melódico e rítmico. O grupo também busca na rica musicalidade pernambuca uma linguagem própria. O clássico do frevo Vassourinhas e Frevo blues são as primeiras gravações a fundir os dois ritmos, encontrando uma identidade surpreendente entre eles. Asa branca também entrou na dança, com direito a sanfona e triângulo ao lado de guitarra slide. E Chameleon, de Herbie Hancock, virou um jazz-xote. Mais tradicional, Estação Werneck tem uma levada matadora na introdução. O funk Praça do Trabalho recebeu um arranjo de metais intrincado, enquanto uma flauta adorna a versão jazzística de Mercy street (Peter Gabriel). Para quem gosta de gaita, o CD é prato cheio. Em Downtown blues, o carioca Jefferson Gonçalves e os paulistas Robson Fernandes e Big Chico fazem uma festa. Jefferson toca ainda em várias outras faixas. Outros convidados ilustres são Rodrigo Santos (baixista do Barão Vermelho), Cezar Michiles (flautista de Naná Vasconcelos) e o saxofonista Edson Rodrigues.

 

 

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz