Resenhas Anteriores:

Gaspo "Harmônica" & Oly Jr. : "Na capa da gaita"

Manifesto Blues: "Bluz'in"

Marcelo Watanable:  "Acoustic & Eletric"

Marcelo Watanable & Rio Preto All Stars: "Black River Blues"

Hubert Sumlin: "I'm the Back door Man"

John Primer: "All right"

Adrian Flores: "Blues from the deep south"

  Wayne Shorter: "Beyond the soud Barrier"

 

 

  FLÁVIO GUIMARÃES - Vivo

 (Delira Blues)

Por Helton Ribeiro

    

 

Embora seja difícil dizer qual o melhor disco solo do gaitista, este é sem dúvida seu trabalho mais maduro. Cantando bem e tocando de forma melodiosa como sempre (tanto na diatônica quando na cromática), Flávio volta ao blues tradicional em uma sucessão de clássicos de Charlie Musselwhite, Little Walter, Jimmy Reed e Robben Ford. Os Blues Groovers, que o acompanham, são ninguém menos que Otávio Rocha (guitarrista do Blues Etílicos), que acrescenta solos nervosos em quase todas as faixas; Ugo Perrota (baixo) e Beto Werther (bateria), ambos ex-Big Allanbik. Nas faixas-bônus em estúdio, eles foram substituídos por uma banda mais jazzística, com participação do guitarrista Danny Vincent, em arranjos acústicos. Charlie Musselwhite é homenageado com três músicas de autoria dele e a participação do próprio cantando e tocando violão (não gaita) em Darkest hour. Outro convidado, Peter Madcat, toca gaita e jaw's harp (berimbau de boca) em Madcat's groove. E Flávio comprova com o feeling de Last night, entre outras, que, no blues, menos é mais. Como todos os produtos da Delira, o CD vem em uma elegante caixinha digipack.

 

 

 

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz