Resenhas Anteriores:

Gaspo "Harmônica" & Oly Jr. : "Na capa da gaita"

Manifesto Blues: "Bluz'in"

Marcelo Watanable:  "Acoustic & Eletric"

Marcelo Watanable & Rio Preto All Stars: "Black River Blues"

Hubert Sumlin: "I'm the Back door Man"

John Primer: "All right"

Adrian Flores: "Blues from the deep south"

  Wayne Shorter: "Beyond the soud Barrier"

 

 

  MAURÍCIO SAHADY - Laundromat 335

 (Delira Blues)

Por Helton Ribeiro

    

 

Nos Estados Unidos, algumas premiações do blues incluem a de “artista merecedor de maior reconhecimento”. Se houvesse tal prêmio no Brasil, o guitarrista Maurício Sahady seria forte candidato. Depois de dois LPs com a primeira banda do gênero de que se tem notícia (o Atlântico Blues) e dois CDs solo, ele ainda não é um nome muito lembrado pelo público. Mas o quinto disco de sua carreira, que homenageia Albert King, tem tudo para mudar isso. Logo na primeira faixa, Please love me, você vai esquecer que ele é carioca: o som que sai dos alto-falantes parece vir direto de Memphis. Os vibratos redondos e fartos de Maurício, a pegada da guitarra-base de Otávio Rocha (Blues Etílicos) e a cozinha na pressão de Ugo Perrotta e Beto Werther (ambos ex-Big Allanbik) formam uma unidade entrosada como se eles tocassem juntos há muitos anos. Para dar ainda mais brilho, Flávio Guimarães entra com a gaita em Crazy mixed up world. Entre muitos clássicos, destacam-se também Don't burn down the bridge, Laundromat blues, Homework e Tell me mama.

 

 

 

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz