Resenhas Anteriores:

Gaspo "Harmônica" & Oly Jr. : "Na capa da gaita"

Manifesto Blues: "Bluz'in"

Marcelo Watanable:  "Acoustic & Eletric"

Marcelo Watanable & Rio Preto All Stars: "Black River Blues"

Hubert Sumlin: "I'm the Back door Man"

John Primer: "All right"

Adrian Flores: "Blues from the deep south"

  Wayne Shorter: "Beyond the soud Barrier"

 

 

  VASCO FAÉ - Mano Blues

 (Chico Blues Records)

Por Edson Travassos

    

 

Ultimamente, quando se vai a um show de blues, ou se compra um cd do gênero, corre-se o risco de se ouvir a um desesperado despejar de notas, como se, de tais demonstrações de virtuosismo ao instrumento, dependesse a vitória em um duelo no qual estaria em jogo a própria alma prometida ao demônio. Não é essa a proposta de Vasco Faé. Em seu terceiro CD solo, como acontecia com os primeiros e verdadeiros bluesmen, voz e instrumentos são meios comprometidos com a expressão de sentimentos. Acompanhado de bumbo, gaita, violão ou guitarra, Vasco tem uma interpretação vocal esmerada que demonstra a sua preocupação e respeito com o legado de mestres como Charley Patton, Leroy Carr, Blind Lemon Jefferson e Blind Willie Johnson, dos quais executa canções, ao lado das suas. Seu trabalho conta com participações bem-vindas de Adriano Grineberg (piano), Andreas Kisser (violão), Fábio Azeitona (zabumba), Ivan Márcio (gaita) e Theo Werneck (kazoo). Destaque para Thanks Mr. Ry, onde é impossível não se contagiar pelo lamento de sua guitarra; Gaitaria n° 5, onde Vasco e Ivan mostram que melhor do que um duelo de gaitas é uma parceria entre elas, e Hush, somebody’s calling my name, que conta com a inusitada, inspirada e competente participação de Andreas Kisser (Guitarrista da banda de metal Sepultura e “blueseiro” de plantão que tem demonstrado muita fluência e conhecimento do gênero).

 

COMPRE AQUI O CD

 

 

 

 

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz