Resenhas Anteriores:

Gaspo "Harmônica" & Oly Jr. : "Na capa da gaita"

Manifesto Blues: "Bluz'in"

Marcelo Watanable:  "Acoustic & Eletric"

Marcelo Watanable & Rio Preto All Stars: "Black River Blues"

Hubert Sumlin: "I'm the Back door Man"

John Primer: "All right"

Adrian Flores: "Blues from the deep south"

  Wayne Shorter: "Beyond the soud Barrier"

 

 

  BLUES ETÍLICOS - Viva Muddy Waters

 (Delira Blues)  

Por Helton Ribeiro

  

A mais importante banda de blues do país comemora vinte anos de carreira em grande estilo, voltando ao blues tradicional neste tributo a Muddy. O resultado é um dos melhores discos dos Etílicos, e com versões bem diferentes das originais. Walking blues começa como um Delta blues eletrificado, com ótima levada da guitarra de Otávio, e aos poucos a banda vai entrando e colocando peso. Flávio cita Cristina, de Tim Maia, no solo de Messin’ with the man (variação de Messin’ with the kid), e usa a gaita cromática na pouco conhecida Diamonds at her feet, cujo vocal é o melhor já gravado por ele. Greg, por sua vez, inova ao experimentar um canto mais anasalado em Walkin’ thru the park, lembrando um pouco Eric Clapton. André Christovam faz um participação especial, solando em She’s nineteen years old, na qual Otávio usa um violão de aço de 1932. Além dos sucessos do ídolo, a banda gravou uma composição inédita presenteada por Charlie Musselwhite, Seems like the whole world was crying. A letra relata a tristeza do gaitista quando soube da morte de Muddy. E há uma faixa-bônus, King bee, disponível apenas na internet.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz