Resenhas Anteriores:

Gaspo "Harmônica" & Oly Jr. : "Na capa da gaita"

Manifesto Blues: "Bluz'in"

Marcelo Watanable:  "Acoustic & Eletric"

Marcelo Watanable & Rio Preto All Stars: "Black River Blues"

Hubert Sumlin: "I'm the Back door Man"

John Primer: "All right"

Adrian Flores: "Blues from the deep south"

  Wayne Shorter: "Beyond the soud Barrier"

 

 

 Thelonious Monk with John Coltrane - "The complete 1957 Riverside Records"

 (Universal)  

Por Helton Ribeiro

  

  O CD duplo reúne, pela primeira vez, todo o material gravado em estúdio pelos dois gigantes nas históricas sessões de 1957. Além do mitológico quarteto que eles mantiveram durante alguns meses, há um extraordinário septeto que inclui Coleman Hawkins e Art Blakey. A maior parte dos takes oficiais foi lançada nos LPs Thelonious Monk with John Coltrane e Monk’s Music, mas há várias versões alternativas, que permitem acompanhar o processo de gravação e comparar diferentes arranjos para as mesmas músicas. A então inédita Crepuscule with Nellie foi a que deu mais trabalho, exigindo sete takes. Em um deles, o equipamento é ligado e nada acontece. O texto do encarte explica: exausto (ou talvez dopado), Monk cochilava debruçado sobre o piano. Ruby, my dear tem duas versões, com Coltrane fazendo o solo em uma e Hawkins, na outra. Monk’s mood, Epistrophy e Well, you needn’t são alguns outros clássicos de Monk que estão no CD. Entre as raridades figura Blues for tomorrow, que foi lançada apenas em uma coletânea de vários artistas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz