Resenhas Anteriores:

Gaspo "Harmônica" & Oly Jr. : "Na capa da gaita"

Manifesto Blues: "Bluz'in"

Marcelo Watanable:  "Acoustic & Eletric"

Marcelo Watanable & Rio Preto All Stars: "Black River Blues"

Hubert Sumlin: "I'm the Back door Man"

John Primer: "All right"

Adrian Flores: "Blues from the deep south"

  Wayne Shorter: "Beyond the soud Barrier"

 

 

 Edu Negrão - "Vem ver"

 (Independete)  

Por Helton Ribeiro

    

   Gilson Peranzzetta, Carlos Malta, Márcio Bahia, Mamão, Zeca Assumpção. O que todos esses (e mais alguns) feras têm em comum? Eles participam do segundo CD de outro fera, Edu Negrão. O guitarrista e violonista paulistano entregou-se de vez à música mineira, avizinhando-se do Clube da Esquina (Longe do amor, Vôo livre) e jazzificando o folclore interiorano (Maria fumaça). E, como bom mineiro honorário, ele é universal, visitando várias outras paragens: Tpm é meio caribenha, Karma parece uma mistura de música indiana e flamenco, e Chorei mas achei, como sinaliza o título, é um choro. Tudo de muito bom gosto, com os refinados arranjos de Yuri Popoff que valorizam as composições de Edu.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz