Resenhas Anteriores:

Gaspo "Harmônica" & Oly Jr. : "Na capa da gaita"

Manifesto Blues: "Bluz'in"

Marcelo Watanable:  "Acoustic & Eletric"

Marcelo Watanable & Rio Preto All Stars: "Black River Blues"

Hubert Sumlin: "I'm the Back door Man"

John Primer: "All right"

Adrian Flores: "Blues from the deep south"

  Wayne Shorter: "Beyond the soud Barrier"

 

 

  Big Chico - "Blues Dream"

  (Chico Blues Records)  

Por Helton Ribeiro

  

O terceiro CD do gaitista de São Paulo foi gravado na Califórnia (leia na pág. 05), com a nata dos músicos locais: os guitarristas John Marx e Zach Zunis, o pianista e organista Rob Van, o baixista Rick Reed (todos ex-integrantes da banda de William Clarke), o baterista Paul Fasulo (Rod Piazza) e participação especial do lendário gaitista e cantor Johnny Dyer, nascido no Mississipi. Rodeado de feras, Big Chico soube distribuir os holofotes: há tantos solos de guitarra quanto de gaita, e Dyer canta Too young too die (Sonny Boy Williamson) e Too late brother. Os guitarristas se complementam à perfeição, pois Marx é meio jazzístico e Zunis, bem tradicional. Em Big Chico, o que mais impressiona é a evolução de seu timbre, bem mais cheio e parecido ao do saxofone (principalmente em Last chance, de George Smith), explorando ao máximo as possibilidades da brasileira Hering. Ele também está utilizando mais a cromática (Blowin' like hell, de William Clarke, West coast man, do próprio Chico) em  consonância com o estilo Califórnia, mas sem esquecer a diatônica (Too late brother, famosa com Little Walter, e Caress me baby, de Jimmy Reed). E Ode to Billie Joe é uma bossa blues, com citação de Na baixa do sapateiro. É o melhor CD de Big Chico, de nível internacional.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz