Resenhas Anteriores:

Gaspo "Harmônica" & Oly Jr. : "Na capa da gaita"

Manifesto Blues: "Bluz'in"

Marcelo Watanable:  "Acoustic & Eletric"

Marcelo Watanable & Rio Preto All Stars: "Black River Blues"

Hubert Sumlin: "I'm the Back door Man"

John Primer: "All right"

Adrian Flores: "Blues from the deep south"

  Wayne Shorter: "Beyond the soud Barrier"

 

 

  Gary Moore - "Old New Ballads Blues"

  (Eagle/ST2)  

Por Helton Ribeiro

   Se você não engole o hard rock-blues do guitarrista irlandês, que já fez muita coisa indigesta, este CD pode mudar sua opinião sobre ele. Talvez pela primeira vez, Moore abraça o blues de verdade e faz um álbum realmente bonito. Só há uma balada pop-rock, Flesh and blood, e o  histrionismo diminuiu muito (a rigor, só em Cut it out ele pesa a mão). All your loving, por exemplo, ficou bem fiel à gravação original de Otis Rush. Em Done somebody wrong ele sobrepôs o slide, obrigatório em se tratando de uma composição de Elmore James, a riffs pesados, com ótimo resultado. Há até uma soul-blues ballad, You know my love, que lembra, por incrível que pareça, Joe Cocker. E mais “acredite se quiser”: no final de Ain’t nobody o fraseado vai ficando parecido com o de Eric Clapton da fase Derek and The Dominoes. Outras boas faixas são a releitura do próprio sucesso Midnight blues; o clássico I’ll play the blues for you, e o rhythm & blues No reason to cry, de levada bem anos 50. Pode comprar sem receio.

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz