Resenhas Anteriores:

Gaspo "Harmônica" & Oly Jr. : "Na capa da gaita"

Manifesto Blues: "Bluz'in"

Marcelo Watanable:  "Acoustic & Eletric"

Marcelo Watanable & Rio Preto All Stars: "Black River Blues"

Hubert Sumlin: "I'm the Back door Man"

John Primer: "All right"

Adrian Flores: "Blues from the deep south"

  Wayne Shorter: "Beyond the soud Barrier"

 

 

  B.B. KING – ONE KIND FAVOR

(Universal)

Por Helton Ribeiro

 

 

   Blues Boy King, aos 83 anos, sabe que nem os reis são eternos, por isso ele vem refletindo sobre a morte. Em seu último DVD, Live (você leu a crítica na edição passada) ele dá um depoimento que soa como uma despedida antecipada aos fãs. Agora, veja os títulos de alguns clássicos escolhidos para o novo CD: See that my grave is kept clean (Cuide para que minha sepultura permaneça limpa), I get so weary (Estou exausto) e How many more years (Quantos anos mais). Mas há também um tom de ironia: See that my grave..., por exemplo, é cheia de suingue, o que não combina com o tema fúnebre. Com a classe de sempre, ainda cantando muito bem e fazendo a guitarra Lucille chorar, ele debruça-se sobre suas principais influências: T-Bone Walker (Waitin’ for your call), Blind Lemon Jefferson (a citada See that my grave...) e Lonnie Johnson (Tomorrow night, Backwater blues, My love is down), entre outras. É seu melhor disco nos últimos anos e, mesmo para quem já tem muita coisa dele, é interessante por mostrar as fontes que moldaram seu estilo. Longa vida ao rei!

 

-----------------------------------------------

TEXTO PRODUZIDO EM 03/11/08

 

 

 

 

 

 

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz