Curso de Guitarra - 1ª aula

Por Edson Travassos

    

 

 

Este é o primeiro exercício que passo a meus alunos, sejam os que nunca tocaram guitarra ou violão na vida, sejam os que já tocam alguma coisa. Eu mesmo o pratico sempre que tenho tempo. É um exercício para as duas mãos ao mesmo tempo, que desenvolve vários aspectos de uma vez. Os principais objetivos são:

- Desenvolver o controle da mão direita de forma a aprender a "palhetada alternada" nas seis cordas. (No caso de principiantes)

- Desenvolver o controle da mão esquerda de forma a aprender a "digitar" as notas na escala do instrumento de forma correta, firme, segura, dominando os quatro dedos, as seis cordas, em qualquer sentido do instrumento (ascendente ou descendente, vertical ou horizontal). (No caso de principiantes)

- Desenvolver o controle da mão direita, obtendo uma palhetada firme, homogênea e segura. (Principiantes, experientes)

- Desenvolver velocidade tanto para a palhetada quanto para a digitação ( Principiantes, experientes e avançados)

- Desenvolver o "ouvido musical" e o "ritmo" ( Principiantes, experientes e avançados)

- Aquecimento, quando necessário.

 

Convenções:

 

- A ESCALA da guitarra é a parte na frente do braço, onde tocamos com a mão esquerda.

- TRASTES são aqueles "ferrinhos" paralelos na escala da guitarra.

- CASAS são os espaços físicos entre um traste e outro. Na guitarra, cada casa é uma nota musical.

- Os dedos da mão esquerda são numerados da seguinte forma: 1-Dedo indicador. 2- Dedo médio. 3- Dedo anular. 4- Dedo mínimo.

 - Na guitarra, as cordas são contadas de baixo pra cima. A primeira (a mais fina) é a MI, a segunda é a SI, a terceira é a SOL, a quarta é a RÉ, a quinta é a LÁ e a sexta (a mais grossa) é a MI (ou Mizona, como alguns chamam, ou "Bordão", como outros chamam)

 

Vamos ao exercício:

 

IMPORTANTE: Todos os exercícios devem ser feitos com o auxílio de um metrônomo, começando em uma velocidade bem baixa (mesmo) e aumentando somente quando não houver nenhum erro após a conclusão do exercício naquela velocidade. Se houver erro na próxima velocidade, voltar à velocidade anterior até que novamente não ocorram erros. Isso é importante para desenvolver o ritmo e aprimorar constantemente a capacidade de usar a velocidade QUANDO NECESSÁRIO. O instrumento deve ser sempre afinado anteriormente, com o auxílio de um afinador eletrônico.

("1" e  "2"  apenas para principiantes)

 

1- Com a mão direita, segurar a palheta de maneira firme, entre a parte de dentro do polegar (mais ou menos atrás da unha) e a parte lateral do indicador. A palheta deve ficar paralela às cordas. (resista à tentação de tocar com a palheta meio curvada, porque é mais fácil. É mais fácil mas o som é uma droga, e a sua técnica não evoluirá nunca) Palhete a 6ª corda (Mizona) de forma alternada. Primeiro para baixo, depois para cima, e assim por diante. Faça isso devagar, de maneira uniforme, com a mesma intensidade e velocidade, tanto para baixo quanto para cima. DICA: procurar trabalhar bem a intensidade homogênea das palhetadas.

2- Quando estiver fazendo com facilidade a palhetada, no ritmo e intensidade constante, passar para a próxima corda. Dar quatro palhetadas na MI e quatro na LÁ, consecutivamente. Quando estiver fazendo isso bem, passar para as demais cordas, aumentando uma a cada vez, até fazer em todas. Depois procurar inventar os "pulos" (Passar da primeira pra terceira, depois pra sexta, depois pra quarta, e assim por diante...) Fazer isso até que você consiga tocar as cordas que quiser na ordem que quiser, com firmeza e convicção. DICA: procurar prestar atenção no som de cada corda, "cantando" cada uma mentalmente, ou mesmo com a voz, para ter isso "de cabeça". É importante decorar a melodia formada pelas cordas soltas da guitarra, tanto de cima pra baixo (MI, SI, SOL, RE, LA, MI) quanto de baixo pra cima (MI, LA, RE, SOL, SI, MI). Isso facilitará para depois você afinar o seu instrumento de ouvido. Tocar com o metrônomo com velocidade bem baixa.

4- tocar a seguinte sequência de notas, começando pela 6ª corda: dedo 1 na casa 1, dedo 2 na casa 2, dedo 3 na casa 3 e dedo quatro na casa 4. Depois fazer o mesmo na 5ª corda, depois na 4ª, na 3ª, na 2ª e finalmente na 1ª. Depois voltar tudo (2ª corda, 3ª, 4ª, 5ª e 6ª) do mesmo jeito. Tocar utilizando a palhetada alternada, a primeira nota pra baixo, a segunda pra cima, a terceira pra baixo, a quarta pra cima, a quinta (já na quinta corda) pra baixo, etc. 

DICA:Utilizar o metrônomo e fazer muuuuito devagarzinho, até que haja o controle simultâneo das duas mãos. 

DICA: apertar a corda com os dedos da mão esquerda o mais próximo possível dos trastes, mas nem em cima deles, nem afastados deles. Isso evitará "trastejamentos" : ruídos da corda batendo no traste)

4- Quando terminar essa sequência, nas seis cordas, indo e voltando, recomeçar, agora com o dedo 1 na casa 2, o dedo 2 na casa 3, o dedo 3 na casa 4 e o dedo 4 na casa 5. Fazer tudo de novo nas seis cordas indo e voltando. Depois, recomeçar, agora com o dedo 1 na casa 3, o dedo 2 na casa 4, o dedo 3 na casa 5 e o dedo 4 na casa 6. E assim por diante. Fazer no braço todo da guitarra. Quando chegar nas últimas casas, fazer o exercício todo de novo, voltando até a primeira casa.

5- Esta sequência é "1234". Quando estiver fazendo ela com facilidade, passar para as próximas sequências, uma por uma:

1234, 4321, 1243, 1324, 1342, 1423, 1432, 2134, 2143, 2314, 2413, 2341, 2431, 3124, 3142, 3214, 3241, 3412, 3421, 4123, 4132, 4213, 4231, 4312

DICA: Só passar para outra sequência quando a sequência que você estiver praticando já estiver perfeita, com o uso do metrônomo, as notas com a mesma intensidade e  a palhetada alternada funcionando perfeitamente.

DICA: Procurar tocar tudo prestando atenção nas notas, sons, cantando mentalmente ou mesmo com a voz, para ir decorando os sons, assimilando-os mecanicamente. Assim, no futuro, quando você estiver tocando, seus dedos irão automaticamente no som que você quer.

Quando já conseguir fazer perfeito todas as sequências, com uma velocidade baixa, ir, aos poucos, aumentando a velocidade. Isso é exercício pra muuuuto tempo...

Bom estudo!

Paz e luz no caminho de todos!

 

 

 

 

Confira as dicas anteriores:

 

  A Fender Stratocaster - Parte I

  A guitarra de B.B. King

  As guitarras de Steve Ray Vaughan

  As principais madeiras utilizadas na fabricação de guitarras e suas características

  As principais guitarras usadas tradicionalmente no blues e suas características - Parte II

  As principais guitarras usadas tradicionalmente no blues e suas características - Parte I

  O Timbre

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz