As guitarras de Stevie Ray Vaughan

Por Edson Travassos

    

 

 

Number One

A mais famosa guitarra de SRV, e também a mais querida por ele, viveu um amor "sofrido" em suas mãos. Foi pisada, arranhada, surrada e jogada ao chão por Stevie infinitas vezes. Segundo depoimento de Steve, era o seu amor porque era a única que se mantinha afinada depois de sofrer seus "abusos". Ele disse ainda que foi um caso de amor à primeira vista. "Ela estava olhando insistentemente pra mim, enquanto eu a admirava, hipnotizado...Eu a comprei sem nem ter tocado nela antes.", disse Stevie em uma entrevista. 

Era uma Fender Stratocaster pré-CBS (da época antes da venda da fender para a Columbia), de 1963, de cor "sunburst", originalmente com o escudo branco. Stevie trocou o escudo por um preto, trocou a ponte original por um trêmolo para canhotos, trocou os trastes por maiores, de forma a se adequar a seu estilo intenso e agressivo de dar bends. A "Number One" era constantemente reformada, em virtude de seus constantes "mau-tratos" sofridos. Chegou, inclusive, a ter o braço remendado após um show onde parte do palco desmoronou e um holofote de iluminação caiu sobre ela, partindo seu braço em dois. Alguns dizem que seu braço foi substituído por um de uma Strato de 1959, mas recentemente foi constatado pela própria Fender que ainda era o braço original, com uma restauração muito bem feita, talvez pelo luthier de Vaughan, René Martinez.

Aliás, a Fender recentemente "clonou" a Number One em uma tiragem de apenas 100 exemplares, a um preço absurdo, para colecionadores. O irmão de Stevie, Jimmy Vaughan (Ex-The Fabulous Thunderbirds), herdeiro da Number One, disponibilizou a guitarra para que a fender observasse, anotasse e tirasse fotos de cada detalhe, a fim de reproduzir de forma perfeita  a guitarra mais famosa da história do blues.

 

Lenny

Era uma Fender Stratocaster de 1963, que foi presente de sua esposa Lenora Bailey (Lenny). Era uma guitarra de som brilhante, graças ao seu braço em "maple". Ajudava também o fato de Stevie, que usava cordas bem grossas em suas guitarras (normalmente .013), usar cordas mais finas nela (.011). Com ela foram gravadas e tocadas ao vivo músicas mais calmas e jazzísticas, como a homônima "Lenny" e a linda "Riviera Paradise".

 

Charlie

 "Charlie" foi construída e presenteada a Stevie por seu grande amigo,  Charlie Wirz. Era uma Stratocaster toda branca, e tinha como diferencial o uso de três captadores Danelectro "lipstick tube", dando ao som uma característica mais cristalina. Ela tinha uma "pin-up" desenhada nas costas. Quando seu amigo morreu, Steve gravou em sua homenagem a linda música "life by the drop", encontrada em seu álbum póstumo "The Sky is crying".

 

Red

Outra fender stratocaster pré-CBS, que originalmente era preta, e foi pintada de vermelho pela fender para Stevie. Seu braço foi trocado por um de canhoto, talvez em referência ao grande ídolo de Stevie, Jimmy Hendrix.

 

Butter

 Butter era uma fender strato que, segundo o luthier de Stevie, foi de um cara do "Vanilla Fudge" e tinha buracos e fiação para "quatro" captadores "humbucker". Porém, Stevie a modificou e instalou apenas um captador "single coil" na posição do braço.

 

Main

 Presente de seu amigo Billy Gibbons (ZZ Top), essa era uma guitarra custom construída pelo renomado luthier James Hamilton, com o nome de Stevie gravado no braço, e vários detalhes luxuosos pelo corpo.

 

"Number One", "Charlie", "Red" e "Butter" (a partir da esquerda)

 

Este mês, completam-se 16 anos desde que Stevie nos deixou para ir tocar ao lado de seus antigos ídolos. Ele partiu, mas sua lembrança, sua música e seu estilo inconfundível de tocar permanecem em nossos corações.

Fica aqui esta humilde homenagem a um grande gênio da música que passou por este planeta.

 Paz e luz no caminho de todos!

 

 

 

Confira as dicas anteriores:

 

  As principais madeiras utilizadas na fabricação de guitarras e suas características

  As principais guitarras usadas tradicionalmente no blues e suas características - Parte II

  As principais guitarras usadas tradicionalmente no blues e suas características - Parte I

  O Timbre

 

Stevie Ray e seu maior amor: A "Number One"

 

SRV e "Number One"

 

SRV e "Lenny"

 

"Charlie"

 

SRV e "Charlie"

 

SRV e "Red"

 

SRV e "Butter"

 

SRV e "Main"

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

  Assine a Blues'n'Jazz